CBR

 

01

abril

2014

Fórum em Belo Horizonte discute defesa profissional

mg_abril14_1

Dr. Mário Lins expõe experiências bem-sucedidas

O Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) e a Sociedade de Radiologia e Diagnóstico por Imagem de Minas Gerais (SRMG) realizaram fórum sobre defesa profissional em Belo Horizonte, no dia 17 de março. O coordenador da Comissão Estadual de Honorários Médicos de Pernambuco, Dr. Mário Lins, foi convidado a apresentar as estratégias traçadas pelos médicos daquele estado, onde os profissionais de Radiologia e Diagnóstico por Imagem obtiveram reajustes da ordem de até 70% em alguns procedimentos junto aos planos de saúde.

Em sua fala, destacou o sucesso da união dos profissionais e as diversas etapas para que todas as ações do movimento tivessem a legitimidade e a força necessárias. “A experiência desprendida de vaidades pessoais apresentada pelo Dr. Mário é motivo de inspiração a todos os médicos, notadamente àqueles que estão à frente das entidades. Todos os colegas que compareceram ao Fórum saíram de lá renovados e esperançosos quanto à continuidade das negociações em Minas”, relatam a Dra. Cibele Alves de Carvalho e o Dr. Reginaldo Figueiredo, atual e antigo presidente da SRMG, respectivamente.

Confira a seguir entrevista publicada no Boletim do CBR, edição de março/2014:

Apresentado em fevereiro pela Associação Médica Brasileira (AMB) como coordenador das Comissões Estaduais de Honorários Médicos, o pernambucano Dr. Mário Fernando Lins percorrerá o país auxiliando as lideranças médicas locais e regionais na organização do movimento e no fomento às negociações com operadoras de planos de saúde. Na entrevista a seguir, o cardiologista de 66 anos conta que este trabalho teve início na Radiologia.

CBR – Como será a coordenação das Comissões Estaduais de Honorários Médicos?

Dr. Mário Fernando Lins – Fui convidado pelo Dr. Florentino Cardoso e pelo Dr. Emilio Zilli [presidente e diretor de Defesa Profissional da AMB, respectivamente] para visitar todas as regiões brasileiras e o maior número possível de Estados com a meta de estruturar comissões estaduais e reforçar as que já existem. Por meio deste contato, pretendemos favorecer a organização, a troca de informações, uniformizar discursos e estratégias, sempre de acordo com as características locais. Acreditamos ser importante ouvir os colegas, olhar nos olhos, pois cada Estado ou região tem suas peculiaridades. É fundamental também ampliar, em nível nacional, a divulgação das conquistas regionais.

CBR – É um grande desafio?

Dr. Mário Fernando Lins – Sem dúvida. Tudo deve ser feito ao abrigo da lei e do Código de Ética Médica. Os médicos precisam esquecer eventuais Divergências e unir-se em prol da medicina brasileira. As entidades são maiores que as pessoas. Os Dirigentes devem ter esta responsabilidade, pois os avanços beneficiarão a todos. O momento é de nos posicionarmos. Caso contrário, as futuras gerações de médicos vão nos cobrar por não termos buscado a valorização da profissão. Outro objetivo é formar quadros para o movimento médico, preparar nossos sucessores. É muito trabalho, mas não nos há de faltar disposição. Sou um dinossauro adolescente [risos].

CBR – Este modelo de trabalho teve início na Radiologia?

Dr. Mário Fernando Lins – Sim. Os radiologistas e suas entidades representativas estão de parabéns. Como participo do movimento médico desde 1995, atuando no Sindicato dos Médicos de Pernambuco, Federação Nacional dos Médicos, Conselho Regional de Medicina de Pernambuco e Associação Médica Brasileira, o CBR me convidou para contar aos presidentes de suas regionais filiadas sobre as experiências em meu Estado relativas à negociação com planos de saúde. Lá temos alcançado muito sucesso a partir da organização dos radiologistas e das entidades locais. Posso citar, por exemplo, que o valor dos raios X foi de R$ 14 para R$ 42 e o da ultrassonografia de R$ 20 para R$ 60 [todas as operadoras]. Isso despertou a atenção do Colégio, que me convidou para falar no Congresso Brasileiro de Radiologia, em outubro de 2013, e depois para participar de reuniões e assembleias na Bahia, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Essas ações já estão dando frutos, o que prova a importância da participação das sociedades de especialidade neste trabalho. A Radiologia está sendo um exemplo para o Brasil.

mario_lins

 

 

 

 
O Dr. Mário Fernando Lins é coordenador da Comissão Estadual de Honorários Médicos de Pernambuco, 1º tesoureiro do Cremepe e diretor financeiro do Simepe

 

Noticias Aleatórias