CBR

 

23

julho

2013

Médicos fazem manifestações e paralisação em todo o Brasil

Reforçando sua revolta, a categoria médica iniciou esta terça-feira (23) com novas manifestações e paralisação por todo o Brasil. O ato faz parte do calendário de greve estabelecido pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam) em enfrentamento ao programa Mais Médicos e aos vetos da Lei do Ato Médico, que regulamenta a medicina. Os dias 30 e 31 de julho também foram definidos para suspensão do atendimento e vários Estados já confirmaram a adesão. Mesmo em estado de greve, os serviços de urgência e emergência são mantidos.

“A Fenam delibera suspensão tanto do sistema público, quanto do suplementar. É uma luta geral, em nome da medicina e da população brasileiras”, ressaltou o presidente da entidade, Geraldo Ferreira.

Após 10 de agosto, quando termina a programação estabelecida, será realizada uma avaliação das reivindicações da categoria. Caso não haja avanços no movimento, a Federação, que representa 53 sindicatos médicos, adianta que decretará greve por tempo indeterminado.

Confira abaixo as atividade de sindicatos. A programação foi deliberada pelas lideranças da classe em defesa de suas bandeiras.

Acre
Os médicos decidiram pela deflagração de greve a partir do dia 23. O movimento de paralisação dos atendimentos foi aprovado em assembleia, na noite de segunda-feira (15), na sede do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC). O objetivo é chamar a atenção dos governos federal e Estadual para o caos na saúde pública.

Bahia
No dia 23 de julho serão paralisados todos os atendimentos da rede pública e privada, incluindo os planos de saúde, exceto as urgências e emergências, que funcionarão normalmente. Uma manifestação vai ocupar a frente do Shopping Iguatemi, a partir das 14h, quando uma feira de saúde vai prestar atendimento médico gratuito à população. Uma exposição de fotos vai mostrar as condições precárias das unidades de saúde.
Em seguida, os médicos farão uma caminhada percorrendo as avenidas Tancredo Neves e Magalhães Neto.

Ceará
23/07 – Paralisação nacional
08h00 – Café da manhã com os representantes das entidades médicas do Ceará, representantes dos centros acadêmicos das faculdades de medicina, coordenadores dos sete cursos de medicina do Ceará, representantes dos médicos residentes e com toda a bancada de deputados federais e estaduais, vereadores e senadores do Ceará. Na padaria Empório Delitália (Avenida Desembargador Moreira, 533), às 8h.
16h00 – Exposição Itinerante de fotos da situação da saúde no Ceará e panfletagem da nota oficial. Local: Terminal do Papicu.
24/07 – Exposição itinerante de fotos da situação da saúde no Ceará e panfletagem da nota oficial. Em dois horários: 8h e 16h, no terminal de Messejana.
25/07 – Exposição itinerante de fotos da situação da saúde no Ceará e panfletagem da nota oficial. Em dois horários: 8h e 16h, no terminal da Parangaba.
26/07- Exposição itinerante de fotos da situação da saúde no Ceará e panfletagem da nota oficial. Em dois horários: 8h e 16h, no terminal Conjunto Ceará.
30/07 – Paralisação nacional. Exposição Itinerante de fotos da situação da saúde no Ceará e panfletagem da nota oficial. Em dois horários: 8h e 16h, na Praça do Ferreira.
31/07 – Paralisação nacional. Exposição Itinerante de fotos da situação da saúde no Ceará e panfletagem da nota oficial. Em dois horários: 8h e 16h, na Beira Mar, Praça dos Estressados.

Distrito Federal
Nas manifestações dos dias 23, 30 e 31 todos os médicos da rede pública e suplementar usarão o luto: roupas, tarjas ou laços pretos. Na operação padrão desta terça-feira (23) o atendimento será feito estritamente dentro dos protocolos, dando-se ao paciente toda a atenção e tempo necessários para a satisfação de sua necessidade médica. Ao contrário de boatos infundados, não serão feitos pedidos indevidos de exames ou ação semelhante. Nos dias 30 e 31, não serão realizadas consultas e cirurgias eletivas. Os atendimentos de emergência e urgência serão mantidos.
Veja abaixo o calendário de protestos e o tira-dúvidas simplificado para as conversas com os pacientes:
Julho
Dia 23 – Dia de luto e operação padrão – todos de preto, fazendo atendimento estritamente dentro dos protocolos, calmamente, e esclarecer os pacientes sobre a MP da Morte, sobre o financiamento da saúde e sobre a necessidade da criação da carreira médica de Estado.
Dia 30 – Suspenção de atendimentos eletivos, luto, panfletagem nos hospitais nos turnos matutino e vespertino e ato público no Ministério da Saúde, às 15h.
Dia 31 – Suspenção de atendimentos eletivos, luto, panfletagem nos hospitais nos turnos matutino e vespertino e assembleia na AMBr (Setor de Clubes Sul, Trecho 3, Lote 16) , às 19h.
*Agosto
Dia 5 – Assembleia de estudantes de Medicina das Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central e Universidade Católica de Brasília, com apoio das entidades médicas do Distrito Federal.
Dia 8 – Audiência pública no Congresso e realização do Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem).
Dia 9 – Realização do Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem).
Dia 10 – Encontro Nacional das Entidades Médicas (Enem).

Goiás
O presidente em exercício do Sindicado dos Médicos de Goiás (Simego), Rafael Cardoso Martinez, e os presidentes do Conselho Regional de Medicina (Cremego), Salomão Rodrigues Filho e da Associação Médica de Goiás (AMG), Rui Gilberto Ferreira, entidades que compõem o Comitê das Entidades Médicas de Goiás (Cemeg), concedem entrevista coletiva nesta terça, 23, às 10 horas, no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, para falar sobre a paralisação da categoria. Serão mantidos os atendimentos de urgência e emergência, as evoluções de pacientes internados, plantões de UTI, plantões de regulação de urgência e transplantes. Seguindo o cronograma nacional de mobilização da categoria os médicos farão novas manifestações e paralisações nos dias 30 e 31 de julho.

Maranhão
Dia 23/07 – Paralização com foco no serviço público, serviço privado é facultativo.Neste mesmo dia será feito um ato na Praça Deodoro- no centro da cidade, inicio às 15:horas.
Dia 30/07 – Passeata dos médicos e acadêmicos às 9:00 horas.Percurso da passeata: saída em frente ao Hospital Dutra –HUUFMA, passando em frente do Hospital Materno Infantil, Hospital Português , Santa Casa de Misericórdia , encerrando em frente ao Hospital Djalma Marques (Socorrão I), no centro da cidade.
Dia 31/07 – Coletiva de imprensa com as entidades médicas : CRM-MA, Sindicato dos Médicos , AMB , com participação dos acadêmicos de medicina. Local: Auditório do CRM-MA, no horário da tarde.
Ontem (22), os médicos do Maranhão protestaram contra as medidas do governo federal no encontro do Padilha, ministro da Saúde, com os prefeitos e secretários municipais. Os profissionais, que usavam jaleco com fita preta, deram as costas a Padilha no momento de seu discurso.

Mato Grosso
As entidades médicas do estado de Mato Grosso (AM-MT, CRM-MT E SINDIMED-MT) farão assembleia geral extraordinária nesta terça-feira (23) às 14h00 e em segunda chamada às 14h30, na sede do CRM-MT, para discutir e deliberar sobre a pauta do movimento. Dentre os principais itens, está a greve dos dias 30 e 31 de julho.

Mato Grosso do Sul
Acompanhando as manifestações nacionais os médicos de Mato Grosso do Sul, também paralisarão o atendimento à rede pública e privada no dia 23 (terça-feira),atendendo apenas os casos de urgência e emergência.
Neste dia os médicos da Capital, acadêmicos do curso de medicina e simpatizantes da causa se concentrarão às 9h, na Praça Ary Coelho para uma passeata pelas Ruas: 14 de julho, Barão do Rio Branco e 25 de dezembro, regressando pela Afondo Pena, até o ponto inicial. De acordo com o calendário da Fenam (Federação Nacional do Médicos), mais duas paralisações estão previstas para acontecer caso a situação não se reverta.

Minas Gerais
Durante assembleia no dia 15 de julho ficou definido que Minas Gerais irá apoiar o movimento nacional contra as atuais ações do Governo Federal, aderindo a agenda de paralisações.
Data: 23 de julho
Horário: 12h
Local: Em frente à Faculdade de Medicina da UFMG (Av. Alfredo Balena, 190, Santa Efigênia)
Na agenda de ações está marcada paralisação de atendimento eletivo do SUS e Saúde Suplementar no dia 23 de julho, terça-feira. O atendimento de urgência e emergência deve ser mantido normalmente. Também nesse dia, será realizado ato público na porta da Faculdade de Medicina da UFMG, ao meio dia.
Ficaram definidas também paralisações nos dias 30 e 31 de julho, com ações ainda a serem divulgadas.

Outras ações
Além da paralisação, a assembleia decidiu redigir uma carta aberta à população para informar porque a categoria é contra as medidas apresentadas pelo Governo Federal e qual a real situação da saúde pública hoje no país. No dia 31 de julho, os médicos voltam a se reunir, às 19 horas, em nova assembleia, na Associação Médica de Minas Gerais, para avaliar o movimento.

Pará
O Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná informa aos médicos que, em relação à paralisação nacional, que ocorrerá no dia 23.07.2013, mostra-se de todo importante que os profissionais que irão aderir ao movimento, informem a seus empregadores que se trata de um movimento de âmbito nacional, inerente ao direito de greve e liberdade de expressão e que, em assim sendo, nenhum empregador, seja público ou privado, poderá adotar qualquer medida de represália à categoria. Os médicos que não trabalharem no dia da paralisação não poderão ser punidos e não poderão sofrer qualquer tipo de sanção, como demissão etc. A Comissão de Negociação, constituída, dentre outras entidades, pelo SIMEPAR, fica à disposição para sanar quaisquer dúvidas.

Paraná
Os médicos do Paraná voltarão a se reunir em assembleia geral no dia 22 de julho, segunda-feira, a partir das 19 horas na Sede da Associação Médica do Paraná para discutirem a possibilidade da realização de uma greve por tempo indeterminado. E já no dia seguinte (23) realizam uma paralisação de 24h acompanhando o movimento nacional capitaneado pela FENAM, CFM e AMB. No Paraná, o movimento está sendo conduzido conjuntamente pelo SIMEPAR, Associação Médica do Paraná e Conselho Regional de Medicina, com apoio dos Diretórios de Estudantes de Medicina.
O Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná oficiou os gestores públicos, os representantes dos empregadores, o Ministério Público Estadual e o Ministério Público do Trabalho a respeito da mobilização da categoria, e da paralisação de vinte quatro horas no dia 23 de julho. Comunicou também que serão mantidos os atendimentos de urgência e emergência, conforme determina a legislação e que novas paralisações serão comunicadas oportunamente.
Portanto o SIMEPAR orienta os médicos que desejam aderir ao movimento do dia 23 que comuniquem seus pacientes, colegas de trabalho e chefias sobre a paralisação. Lembramos que qualquer represália por parte dos empregadores deve ser imediatamente comunicada ao Sindicato para que as medidas cabíveis sejam tomadas. Os médicos têm pleno direito à greve desde que respeite a legislação

Pernambuco
Na última Assembleia Geral Extraordinária (15/07), os médicos de Pernambuco decidiram: Manter o estado de greve com paralisações dos serviços eletivos públicos e privados, nos dias 23, 30 e 31 de julho, resguardando os atendimentos das emergências, urgências, quimioterapia, radioterapia, hemoterapia, hemodiálise e afins. Na próxima terça-feira (23/07) às 09h30 concentração, seguida de ato, em frente ao Hospital da Restauração, ocasião em que será realizado “enterro simbólico” do Ministro da Saúde do Brasil, Alexandre Rocha Santos Padilha. Convidamos todos os médicos e a sociedade para esse grande ato em defesa da saúde pública do nosso País.

Piauí
De 23/07 a 31/07 – Médicos devem trabalhar tanto em vínculo privado como público usando o adesivo “Orgulho de ser médico!” e entregarão aos pacientes a “Carta Verdade” elaborada pelas Entidades Médicas, relatando a verdade sobre o impasse entre médicos e o Governo Federal.
Dia 02/08 – Café da manhã e debate com médicos, acadêmicos e parlamentares sobre o Programa Mais Médicos e os vetos do Ato Médico, às 8 horas no CRM-PI.
Dia 03/08 – Manifestação na Praça João Luís Ferreira, a partir das 8 horas, com carro de som, distribuição da “Carta Verdade”, informes e prestação de serviços para a população.
OBS: Os adesivos de roupa e a carta para os pacientes podem ser recebidos na sede do SIMEPI, Rua Paissandu, 1665 – centro, ou podem ser solicitados pelo telefone 3221-5624, que serão entregues no local de trabalho.

Rio de Janeiro
Em virtude da visita do Papa Francisco ao Rio de Janeiro, os médicos vão participar de uma manifestação de apoio ao movimento dos alunos de medicina que ocupam a reitoria da Universidade Gama Filho. Ato está previsto para as 15h. As paralisações dos dias 30 e 31 estão mantidas.

Rio Grande do Norte
Seguindo o calendário nacional de enfrentamento ao governo federal, o Sinmed RN realiza mais uma manifestação no próximo dia 23 de julho (terça-feira). A FENAM deliberou que aconteça, no mesmo dia, uma paralisação tanto do sistema público, quanto do suplementar.
A manifestação será às 9h, concentração no Sinmed RN (Rua Apodi, Cidade Alta). Em seguida os médicos vão em caminhada até o calçadão da Rua João Pessoa.

São Paulo
Os residentes dos principais hospitais, inclusive da Faculdade de Medicina do ABC, paralisam suas atividades nesta terça-feira (23).
Às 16h, os médicos farão uma manifestação, em frente à Casa de Portugal, onde representantes do Ministério da Saúde falam com prefeitos sobre o Programa Mais Médicos. Local: Casa de Portugal, Avenida da Liberdade, 602, Bairro Liberdade.

Fonte: Fenam

Noticias Aleatórias