CBR

 

29

maio

2012

AMB divulga nota contra MP dos planos de carreira no serviço público

O Colégio Brasileiro de Radiologia apoia a Associação Médica Brasileira (AMB) em seu repúdio à Medida Provisória No 568/2012 do Governo Federal, publicada no último dia 11 de maio e que trata de alterações em planos de carreira, tabelas salariais e gratificações para dezenas de categorias em diversos órgãos públicos.

Para a AMB a medida foi editada com a “boa intenção” de ajustar os salários dos servidores federais, apesar de garantir avanços nesse sentido a outras categorias profissionais, mas particularmente para os médicos é devastadora, pois reduz seus vencimentos em 50%, de acordo com o estabelecido em seus artigos de 42 a 47.

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão alegou a necessidade de equiparar as tabelas dos médicos às dos demais profissionais de nível superior. Isso, na prática, significa transformar as atuais tabelas de 20h para 40h, sem ajuste de vencimentos, reduzindo, portanto, os vencimentos à metade.

A referida MP não extingue o regime de 20h, mas lhe atribui metade do valor da nova tabela de 40h, já reduzida à metade. Estima-se que tais medidas afetem 42 mil médicos ativos e inativos do Ministério da Saúde e outros cerca de 7 mil do Ministério da Educação, além de se estenderem ainda aos atuais aposentados e pensionistas.

Por esta razão, a AMB declara em nota oficial que não aceitará passivamente mais este golpe na categoria, insistentemente subvalorizada pelo governo brasileiro, apesar da sua denotada importância no cenário da saúde nacional. Saiba mais acessando a Nota Oficial da AMB.

Fonte: AMB

Noticias Aleatórias