CBR

 

13

maio

2010

AMB recebe Medalha por missão no Haiti

A Associação Médica Brasileira (AMB) recebeu, no
dia 12 de maio, a Medalha da Vitória, outorgada pelo Ministro de Estado da
Defesa, Nelson Jobim. A homenagem foi realizada no Monumento Nacional aos
Mortos da II Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro (RJ).

Na ocasião, a AMB ganhou um diploma e condecoração
por conta da missão AMB SOS Haiti, criada para atendimento às vítimas do
terremoto que assolou aquele país em 12 de janeiro de 2010.

Segundo o Dr. José Luiz Gomes do Amaral, presidente
da AMB, a participação dos médicos nesta iniciativa comprova a grande
solidariedade e vontade de ajudar destes profissionais. “Há muito tempo
que ouço coisas do tipo: os médicos só atendem em clínica privada ou em grandes
hospitais, nos grandes centros, não sabem trabalhar com outros profissionais e
não querem se interiorizar. Essa ação mostrou que tais frases não são e nunca
foram verdadeiras.”

Além de missões humanitárias como esta, promovida
pela AMB em parceria com outras entidades médicas e Sociedades de
Especialidade, a Medalha, criada em 2004, destina-se a agraciar militares e
civis, além de policiais, bombeiros e outras instituições que contribuem para a
difusão dos feitos da Força Expedicionária Brasileira e dos demais combatentes
brasileiros, assim como aqueles que participaram de conflitos internacionais na
defesa dos interesses do país, integraram missões de paz, prestaram serviços
relevantes ou apoiaram o Ministério da Defesa no cumprimento de suas missões
institucionais.

Haiti: a lição de
solidariedade dos médicos brasileiros

Foram enviadas três equipes, que trabalharam em
média 12 horas diárias, totalizando 180 horas de assistência; centenas de
atendimentos ambulatoriais, 180 internações e 240 cirurgias.

“Quando iniciamos o alistamento de médicos, a
inscrição de mais de 1.000 voluntários nos deu a certeza de que estávamos no
caminho certo, que poderíamos expressar a solidariedade dos médicos brasileiros
em relação ao povo haitiano”, afirma o Dr. Amaral.

Os atendimentos começaram já na primeira semana
após o terremoto que destruiu Porto Príncipe, quando médicos brasileiros da
organização Expedicionários da Saúde, parceiros da AMB, estabeleceram-se no sul
do país, em Les Cayes, e organizaram um serviço médico nas áreas de ortopedia e
anestesiologia no hospital canadense Institut Brenda Stratfford.

Duas salas de operação foram aparelhadas, além de
um centro de esterilização e duas enfermarias, totalizando 40 leitos.

FONTE: Acontece
Comunicação e Notícias

Noticias Aleatórias