CBR

 

13

agosto

2012

SP: em protesto, médicos não atenderão planos de saúde em setembro

A Associação Paulista de Medicina (APM) decidiu, em plenária realizada no dia 9 de agosto, que orientará os médicos de São Paulo a suspenderem o atendimento às operadoras de planos de saúde no próximo dia 6 de setembro.  A plenária foi organizada pela APM e suas Regionais, Cremesp, Sindicatos de São Paulo, Academia de Medicina de São Paulo e sociedades de especialidade.

A paralisação recomendada pela APM terá duração de 24 horas e atingirá as 17 operadoras de planos de saúde que, mesmo depois de várias negociações, não apresentaram propostas consistentes de reajustes dos honorários médicos em consultas e procedimentos, com inclusão de cláusulas de reajustes periódicos nos contratos de prestação de serviço e de fim das pressões para reduzir exames, internações e antecipar altas que acarretam riscos aos pacientes.

Segundo a organização do movimento, a decisão de suspender o atendimento objetiva chamar a atenção da opinião pública sobre a postura dos planos de saúde de não apresentar propostas consistentes aos profissionais de medicina. Esta é a primeira vez em 2012 que haverá paralisação dos médicos. Em 25 de abril, a classe organizou uma manifestação na Avenida Paulista e procurou as empresas do setor de saúde suplementar para o diálogo. Desde então, foram realizadas mais de 30 reuniões com 18 operadoras, mas nenhuma delas atendeu as expectativas da classe.

A próxima reunião das entidades médicas e sociedades de especialidades está agendada para 20 de agosto. Enquanto isso, uma comissão de trabalho iniciará a organização das atividades relativas à suspensão do atendimento no dia 6 de setembro. A orientação é de que os casos de urgência e emergência sejam atendidos normalmente e que consultas e procedimentos sejam reagendados para outras datas.

Fonte: APM

Noticias Aleatórias