CBR

 

11

abril

2013

Entidades médicas fazem caminhada por mais recursos para a saúde

A luta por mais recursos para a saúde pública levou milhares de brasileiros à Brasília (DF). no último dia 10 de abril. Entidades médicas, profissionais da saúde e sociedade civil fizeram uma caminhada na Esplanada dos Ministérios em apoio ao Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública, o Saúde+10.

O objetivo do Movimento, do qual participam o Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam), foi chamar a atenção do Congresso Nacional para a necessidade de vincular 10% dos recursos brutos da União à saúde. Para isso, já foram recolhidas mais de 1,2 milhão de assinaturas que comporão um projeto de lei de iniciativa popular que será apresentado pelo movimento.

Criado há um ano, o Movimento Saúde+10 tem como objetivo coletar 1,5 milhão de assinaturas, a partir do esforço de sindicatos, conselhos profissionais, parlamentares e diversas entidades que participam do movimento. Além da participação das entidades médicas nacionais representadas na Comissão Pró-SUS, o Ato contou a presença de lideranças dos Conselhos Regionais de Medicina, Sindicatos, Associações e Sociedades de Especialidades.

Nos estados

As entidades médicas do Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo também promoveram mobilizações em torno do financiamento da saúde pública, tendo como mote o Dia Mundial da Saúde, celebrado em 7 de abril.

Na capital paulista, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), a Associação Paulista de Medicina (APM) e o Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) farão um mutirão na Praça da Sé, no dia 12 de abril, das 10h às 18h, para coleta de assinaturas em prol da aprovação dos 10% das receitas União para a Saúde.

No Rio de Janeiro, o Conselho Regional de Medicina (Cremerj) e o Sindicato dos Médicos (SinMed-RJ) promoveram, no dia 7 de abril, um ato público na Praia de Copacabana. Os médicos se manifestaram em defesa do piso de R$ 10.412,00 (Fenam), contra a terceirização da gestão pública de saúde, por concursos públicos com salários dignos, por maior financiamento do SUS, dentre outros temas.

No dia 6 de abril, Curitiba sediou mobilização em favor do financiamento. Com o apoio do Conselho Regional (CRM-PR), um mutirão coletou as assinaturas para a campanha Saúde+10, na Boca Maldita. Se aprovado, a previsão é de que mais R$ 30 bilhões por ano possam ser repassados para a saúde pública.

Fonte: CFM

Noticias Aleatórias