CBR

 

09

fevereiro

2010

Médicos terão política de saúde no ambiente de trabalho

O Comitê Nacional de Prevenção à Saúde do Trabalhador se reuniu nos dias 04 e 05 de fevereiro, em Brasília, para definir as diretrizes da política nacional de promoção à saúde específica para os trabalhadores do setor. As ações vão beneficiar médicos, enfermeiros, psicólogos, dentistas e assistentes sociais, entre outros. A meta é criar uma política que proteja esses profissionais contra riscos que afetam sua saúde no ambiente de trabalho.

“São diretrizes que ainda não existem no setor, nem no particular, nem no SUS (Sistema Único de Saúde). O grande objetivo é criar políticas para proteger aqueles que cuidam dos outros e que não estão sendo cuidados”, explica o vice-presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), José Erivalder Guimarães de Oliveira, membro do Comitê.

O grupo, formado por integrantes do governo federal e representantes de todas as profissões da área da saúde, terá 120 dias para apresentar a proposta, que, se aprovada, beneficiará cerca de dois milhões e meio de trabalhadores da área da saúde, abrangendo as esferas federais, estaduais e municipais. 

Em princípio, as diretrizes serão gerais, sem distinção para cada profissional. Posteriormente, diretrizes específicas poderão ser regulamentadas.

“O grande desafio agora é buscar um consenso para que sejam construídas políticas que contemplem efetivamente a saúde daqueles que cuidam dos outros”, completou José Erivalder.

A próxima reunião do Comitê está agendada para março deste ano.


FONTE: FENAM

Noticias Aleatórias