CBR

 

18

maio

2011

Pós-graduação não garante título de especialista, alerta CFM

O Conselho Federal de Medicina (CFM) reforça que a simples existência de um curso de pós-graduação lato sensu, ainda que reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), não habilita o médico a se anunciar como especialista, tendo somente valor acadêmico. O assunto foi debatido em Sessão Plenária do Conselho Federal de Medicina (CFM), realizada em 11 de maio de 2011, em Brasília. 

Apenas duas formas podem levar o médico a obter a especialização, sendo elas: por meio de uma prova de títulos e habilidades das Sociedades de Especialidades filiadas pela Associação Médica Brasileira; e/ou por residência médica reconhecidas pela Comissão Nacional de Residência Médica.

“O CFM está atento a propagandas de alguns cursos de pós-graduação que induzem interpretação equivocada”, afirmou o presidente da entidade, Roberto d’Avila. Também foi ressaltado na Plenária do CFM que o médico somente poderá anunciar especialidade quando o título estiver registrado no Conselho Regional de Medicina em que estiver inscrito.

Para ter acesso a Resolução CFM nº 1634/2002 que trata sobre o convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre o CFM, a AMB e a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), clique aqui.

Noticias Aleatórias