CBR

 

29

junho

2011

Médicos de SP realizam assembleia e podem suspender atendimento a planos

Os médicos de São Paulo realizarão nesta quinta-feira, 30 de junho, às 20h, assembleia estadual para debater os próximos passos da campanha por valorização na saúde suplementar e qualidade na assistência aos pacientes. Uma das reivindicações é a recomposição do valor de consulta por planos de saúde para R$ 80. Segundo o presidente da Associação Paulista de Medicina (APM), Jorge Curi, a média paga está entre R$ 25 e R$ 42.

Há também a proposta de regularização dos contratos entre médicos e operadoras com a inserção de cláusula de reajuste anual baseado no índice autorizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para os planos individuais. “O valor do reajuste é negociável, o que é inconcebível é não ter uma cláusula”, ressalta o presidente da APM.

O movimento busca também o fim das pressões das empresas para que haja redução de solicitações de exames, de internações e de outros procedimentos, interferências que, segundo os médicos, são abusivas e colocam em risco a saúde dos cidadãos. O presidente da APM explica que, muitas vezes, sem quaisquer justificativas ou por explicações frágeis, não há pagamentos de internações ou tratamentos.

O presidente da associação ressalta que alguns pacientes, mesmo conveniados, procuram por atendimento público. “Está cheio de gente com plano de saúde procurando o Sistema Único de Saúde (SUS) por encontrar problemas no atendimento conveniado”, explica.

A assembleia será realizada na Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas em São Paulo (SP) e será aberta apenas aos médicos.

Fonte: DCI

Noticias Aleatórias