CBR

 

10

agosto

2011

SP: Divulgados nomes das empresas para suspensão do atendimento

Nesta quarta, 10 de agosto, durante entrevista coletiva à imprensa na Associação Paulista de Medicina (APM), a Comissão Estadual de Mobilização Médica para a Saúde Suplementar divulgou os nomes das 12 empresas cujo atendimento eletivo será suspenso a partir de 1º de setembro, em rodízio de especialidades.

São elas: Ameplan, Assefaz, Cetesb, Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Green Line, Intermédica, Mediservice, Notredame, Porto Seguro, Prosaude, Vale e Volkswagen. Algumas delas sequer responderam a correspondência das entidades médicas. Outras não chegaram a negociar novos valores dos honorários. Houve três empresas Care Plus, Cesp e Marítima que enviaram propostas ontem. Por isso, seu teor será avaliado pelas entidades e, em breve, haverá o anúncio do encaminhamento relativo a tais negociações.

Composta por APM, Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, Sindicatos dos Médicos, Academia e Sociedades de Especialidades, a Comissão também anunciou os nomes das 19 empresas que estão em negociação com as entidades, mostrando-se sensíveis a necessidade urgente de valorização do trabalho médico. Integram a lista: Abet, Amil, Blue Life, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Cassi, Dix, Embratel, Fundação Saúde Itaú, Gama Saúde, Geap, Golden Cross, Medial, Metrus, MPU, Petrobras, Prodesp, Sabesprev e Sul América.

No entanto, as lideranças ressaltaram que as propostas de valores recebidas estão sendo criteriosamente analisadas, pois parte delas ainda não atende os pleitos dos profissionais. Com isso, pode haver mudanças na relação de empresas a sofrer paralisações.

Outra novidade é que a Ortopedia e Traumatologia foi incluída no rodízio de especialidades, além da Anestesiologia, que participará permanentemente paralisando o atendimento de forma a acompanhar as especialidades cirúrgicas mobilizadas.

Conforme divulgado desde a Assembleia Estadual de 30 de junho, as urgências e emergências serão garantidas e os protestos dos médicos terão continuidade até que todas as empresas procuradas se posicionem. Nas demais regiões de São Paulo, foram eleitas outras operadoras com maior participação em cada contexto.

A pauta de reivindicações do movimento estadual inclui: consulta a R$ 80,00 e procedimentos atualizados de acordo com a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), inserção do índice de reajuste anual nos contratos entre médicos e empresas e fim das interferências sobre a autonomia do médico.

Rodízio de especialidades – paralisação do atendimento

01 a 03 de setembro – Ginecologia e Obstetrícia
 
08 a 10 de setembro – Otorrinolaringologia

14 a 16 de setembro – Pediatria

19 e 20 de setembro – Ortopedia e Traumatologia

21 a 23 de setembro – Pneumologia e Tisiologia

28 a 30 de setembro – Cirurgia Plástica

Fonte: APM

Noticias Aleatórias