CBR

 

12

setembro

2011

Comissão da Câmara discute amanhã qualidade dos planos de saúde

A Comissão de Defesa do Consumidor (CDC) vai discutir nesta terça-feira (13/09) a qualidade do atendimento aos usuários de planos de saúde. O deputado Valadares Filho (PSB/SE), que sugeriu a audiência pública, afirmou que: “Mesmo com a pressão de clientes e médicos para que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aumente a fiscalização, as queixas contra os planos de saúde mais que dobraram nos últimos seis meses”.

O deputado cita reportagem do jornal Correio Braziliense, publicada em 14 de maio, segundo a qual o índice oficial que mede o número de reclamações registradas pela ANS passou de 0,29 ponto para 0,62, de dezembro de 2010 a abril deste ano. Só no primeiro bimestre, foram 28.318 registros.

Ainda segundo o jornal, o problema mais comum é a negativa de cobertura, seguido de cláusulas contratuais abusivas e aumento injustificado da mensalidade.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) acusa os planos de não reajustarem os honorários e de interferirem na autonomia dos profissionais. O repasse dos planos aos médicos fica entre R$ 25 e R$ 40, por consulta. Os médicos também acusam os planos de criar empecilhos para os pedidos de exames mais caros.

“Nosso principal objetivo é melhorar a nossa relação com os planos de saúde e buscar um atendimento ético para nossos pacientes”, afirmou o vice-presidente do Conselho, Aloísio Tibiriçá. Depois de os médicos terem feito uma paralisação no dia 7 de abril, contra os baixos valores pagos por consulta, a entidade promete organizar um novo protesto para o dia 21 de setembro.

Operadoras

A Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), que congrega 15 grupos de operadoras de planos de saúde, alega, em nota, que o valor das consultas médicas praticados por afiliadas variou, de 2002 a 2010, entre 83,33% e 116,30% – índices superiores à variação do Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA) no mesmo período, que foi de 56,68.

A Fenasaúde ainda argumenta que, segundo recente pesquisa realizada pelo DataFolha/IESS, 80% dos beneficiários avaliam positivamente os serviços prestados pelas operadoras.

Foram convidados para o debate de terça: o presidente do Conselho Federal de Medicina, Roberto Luiz Dávila; o diretor-presidente da ANS, Maurício Ceschin; o representante da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Paulo dos Santos; o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas; e o presidente da Fenasaúde, Márcio Serôa Coriolano.

A audiência será realizada às 14h30. O local ainda não foi definido.

Fonte : Agência Câmara

Noticias Aleatórias