CBR

 

31

outubro

2011

Médico francês fala sobre Medicina Nuclear no câncer de tireóide

Será realizada no dia 7 de novembro, às 20 horas, em São Paulo (SP), palestra do Dr. Martin Schlumberger, professor de Oncologia da Universidade de Paris e Chefe da Medicina Nuclear e Endocrinologia Oncológica do Instituto Gustav Roussy, na França, sobre o tema Use of RAI in DTC – an update discussion of clinical cases.

Na primeira parte do encontro o palestrante, que também é autor das diretrizes de nódulo e câncer de tireóide da American Thyroid Association e da European Thyroid Association, ministrará uma rápida palestra e, em seguida, será promovida uma discussão de casos.

O câncer de tireóide é o mais comum dos tumores do sistema endócrino e ocorre em todas as faixas etárias, com maior incidência entre mulheres acima de 40 anos. O acompanhamento pós-operatório exige exames de rotina para avaliar a presença de remanescentes tireoidianos e verificar recorrência do tumor, que pode acontecer em cerca de 35% dos casos.

A pesquisa de corpo inteiro com Iodo 131 é o exame de escolha para este controle e, para aumentar a sensibilidade na detecção de remanescentes ou recorrências, torna-se necessário a suspensão da hormonioterapia por cerca de 4 semanas, o que pode ser um processo desgastante e arriscado para o paciente, uma vez que pode levar ao quadro de hipotireoidismo, que pode levar a fadiga, sonolência, ganho de peso, redução dos reflexos, dores articulares, edema, constipação intestinal, entre outros.

Esses sintomas melhoraram muito após o uso de TSH recombinante, fazendo com que o paciente não precise interromper o uso do hormônio tireoidiano e consiga manter a qualidade de vida no período do preparo para a realização do exame. “Caso seja detectada doença em atividade (recorrências ou metástases), segue-se o tratamento com iodo radioativo, cercado de controvérsias quanto à sua indicação, preparo para o tratamento, fatores de risco a serem considerados, cálculo da dose administrada, uso do TSH recombinante e outros”, explica a médica nuclear Irene Endo, coordenadora científica da palestra.

A palestra, realizada pela Sociedade Brasileira de Biologia, Medicina Nuclear e Imagem Molecular (SBBMN), possui vagas limitadas e as inscrições são gratuitas. Informações e inscrições no site http://www.sbbmn.org.br/.

Fonte: SBBMN

Noticias Aleatórias