CBR

 

20

setembro

2013

Sessões de CCRP farão parte da programação principal do CBR 13

CBR 13A correlação clínica-radiológica-patológica (CCRP) consiste em interpretar os achados de imagem e estabelecer diagnósticos diferenciais, alguns dos principais papéis do radiologista em sua atividade diária. Desde a sua formação como especialista, o radiologista busca aprimorar-se e continuamente adquirir conhecimento, familiarizando-se com novas tecnologias e aumentando sua bagagem intelectual na ciência médica.  Esta é uma das razões do sucesso das sessões de interpretação de imagens nos grandes eventos da especialidade. Há várias denominações para estas sessões, mas a sigla CCRP é a mais tradicional entre os radiologistas e o Congresso Brasileiro de Radiologia adota este termo consagrado.

Para as CCRPs deste ano, onde serão discutidos casos especialmente selecionados por seu conteúdo didático, foram separados quatro temas em cada dia, dando ênfase ao raciocínio prático. No dia 11 de outubro, das 16h55 às 18h00, os temas Mama, Pediatria, Neurorradiologia e Cabeça e Pescoço serão apresentados pelo diretor científico do CBR, Dr. Manoel de Souza Rocha. Já no dia 12, entre 16h45 e 17h45, o Dr. Nelson Márcio Gomes Caserta abordará Musculoesquelético, Tórax, Gastrintestinal e Urologia.

“O mestre da medicina brasileira, Miguel Couto, dizia que os diagnósticos em medicina são 90% bom senso e 10% ciência. Uma frase sua ouvida em um congresso americano marca bem o espírito destas sessões de interpretação de imagem: ‘O sucesso é uma jornada, não um destino!’. E é exatamente isto que será visto com os debatedores destas CCRPs em Curitiba”, disse o Dr. Nelson Márcio Gomes Caserta. “Há um fascínio especial quando um debatedor destaca um detalhe obscuro e, a partir dele, desenvolve um raciocínio bem estruturado. Nem sempre isto é possível, mas faz parte do exercício”, completou.

Uma das razões que levam o público a participar da CCRP é a intenção natural de todo radiologista em conhecer a estratégia para se obter um grupo de diagnósticos mais prováveis. O objetivo é justamente este e não importa a obtenção do diagnóstico final exato. Os casos selecionados para discussão mostram imagens dirigidas para a investigação e os debatedores as recebem com antecedência, para um estudo apropriado. À semelhança da prática, o estabelecimento de diagnósticos diferenciais sempre busca o essencial para atender e dirigir os cuidados com o paciente. Este papel didático certamente será um dos atrativos para que se reserve um tempo para as CCRPs.

Inscrições

As inscrições com preço promocional para o CBR 13, que neste ano ocorrerá simultaneamente ao XXVII Congresso Brasileiro de Medicina Nuclear, vão até o dia 23 de setembro e podem ser realizadas pelo site www.congressocbr.com.br, com desconto especial aos associados do CBR e da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN).

Noticias Aleatórias