CBR

 

17

setembro

2013

Trabalho de médicos nucleares brasileiros recebe prêmio internacional

Pesquisa desenvolvida por médicos do serviço de Medicina Nuclear do Hospital de Clínicas da Unicamp (HC) recebeu o prêmio Alexander Gottschalk como o melhor trabalho de PET em Oncologia Clínica pela Fundação Americana de Educação e Pesquisa, apresentado oralmente por um país membro da Associação Latino-Americana de Sociedades de Biologia e Medicina Nuclear (Alasbimn) durante o 60º Congresso da Society of Nuclear Medicine and Molecular Imaging (SNMMI). O congresso foi realizado entre os dias 8 e 12 de junho de 2013, em Vancouver, no Canadá.

O estudo Evaluation of soft tissue lesions with 18F-FDG PET/CT – a prospective trial, dos autores Aline Lopes Garcia Leal, Maurício Etchebehere, Sérgio Bulach Gapski, Ingrid Amstalden, Allan de Oliveira Santos, Celso Darío Ramos, Edwaldo Eduardo Camargo e Elba Cristina Sá de Camargo Etchebehere avaliou prospectivamente o papel do PET/CT com FDG-18F na avaliação de lesões de partes moles. Para formulação do estudo, foram avaliados 48 pacientes com lesões em tecidos moles, nos membros superiores, inferiores e na parede abdominal. Os exames confirmaram que, entre os casos clínicos analisados, 31 eram lesões benignas e 17 malignas. E o PET/CT com FDG-18F apresentou 100% de sensibilidade, 80,6% de especificidade, 87,5% de precisão e VPN de 100% na detecção das lesões malignas.

O congresso anual da SNMMI é considerado um dos eventos científicos mais importantes do mundo em Medicina Nuclear e Imagem Molecular. Anualmente, reúne milhares de profissionais de medicina nuclear de diversos países e apresenta mais de 1.800 trabalhos e pôsteres submetidos por cientistas, médicos, farmacêuticos e tecnólogos da área.

Noticias Aleatórias