Moratória estabelece suspensão na criação de novos cursos de Medicina por 5 anos

Duas Portarias que atendem às reivindicações da Associação Médica Brasileira (AMB), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e de outras diversas entidades médicas foram assinadas no último dia 5 de abril, em Brasília.  

O fato é resultado de inúmeras denúncias feitas ao Governo Federal sobre a abertura desenfreada de escolas médicas no Brasil. Além da moratória, a portaria também atende outra reivindicação da AMB: a criação de um grupo de trabalho para subsidiar a reorganização da formação médica, com foco na melhoria da qualidade profissional dos médicos.

De acordo com a AMB, além deste encaminhamento, há também a necessidade de que se estabeleça o Exame Nacional de Proficiência para os egressos de escolas de Medicina, haja vista que dos 2.636 médicos que participaram da prova do Cremesp de 2017, mais de 35% acertaram menos de 60% das 120 questões da prova, porcentagem considerada mínima para a aprovação.

No Brasil, existem atualmente 302 escolas de medicina, sendo que entre 2003 e 2018 foram criadas 178 escolas médicas.

Escrito por

Adriano

Deixe seu comentário