fbpx

Conhecendo a CEAR

A Comissão de Ensino e Aperfeiçoamento em Residência Médica (CEAR) foi instituída há mais de dez anos, sob a gestão do Dr. Fernando Moreira (2005/2008), e vem construindo ao longo destes anos, com a participação de diversas gerações de profissionais engajados e comprometidos com a educação médica, um retrato da formação do radiologista no país. Traz como uma das missões principais a criação de um palco de discussão sobre o ensino da Radiologia no Brasil, sobretudo do aperfeiçoamento e residência médica, afinado com as discussões nacionais em cenários paralelos, como a Comissão Nacional de Residência Médica.

Para tanto, a comissão busca ser sempre bastante representativa, sendo atualmente composta por colegas de várias regiões do Brasil, pilares que agregam com suas vivências e dividem um rico panorama de experiências, trazendo contribuições de cenários regionais e de contextos de educação bastante diferentes. Olhares que se complementam quanto à observação de demandas distintas e necessidade de intervenções muito próprias, que, em última análise, representam a própria heterogeneidade de cenários de ensino do país.

A construção que ocorre neste momento inicial, de formação de novos radiologistas, reflete a reconstrução da própria especialidade, com os seus desafios de protagonismo e de vanguarda, atenta às mudanças e inserida com relevância no cenário médico. Apoiar os aperfeiçoandos e residentes nas mais diversas questões de ensino relativas ao contexto de atuação do CBR é o desafio mais sensível da comissão, sobretudo desde 2020, quando surgiram necessidades de adequação e demandas muito específicas relacionadas à Pandemia.

Outro pilar de atuação da Comissão que merece destaque, em paralelo ao apoio ao residente/aperfeiçoando, é o de servir como um ponto de apoio aos serviços que oferecem aperfeiçoamento/residência em Radiologia. A CEAR é a responsável pelo credenciamento ou descredenciamento dos serviços de aperfeiçoamento em Radiologia, lembrando que atualmente estão abertos para novos credenciamentos apenas serviços do quarto ano em diante, os chamados “fellows ou E4, ou Ultrassonografia. O supervisor dos programas de residência médica/aperfeiçoamento encontra nesta comissão auxílio tanto em questões operacionais, relacionadas diretamente à normatização e aos requisitos mínimos exigidos, quanto em questões relativas aos alunos, como disponibilização da normatização e dos requisitos mínimos para o funcionamento de todos os serviços de aperfeiçoamento. Os supervisores encontram ainda apoio para a realização da validação no Portal CEAR dos programas de aperfeiçoamento e residência médica, passo importante para a vinculação dos alunos previamente registrados junto ao CBR aos serviços, permitindo o acesso a benefícios e descontos em eventos do CBR, à plataformas educacionais disponíveis online, e à inscrição na prova de avaliação anual seriada. Merece destaque ainda o apoio que a comissão dá à esta prova, enxergando nesta iniciativa meritosa da Comissão de Titulação a possibilidade de um “teste de progresso”, que permite aos alunos e aos supervisores acompanhamento individual do desenvolvimento ao longo dos três anos e comparação do desempenho com a média nacional. Este diagnóstico permite o resgate, ainda durante o percurso, de temas de melhora potencial do aprendizado, que merecem maior atenção ou inclusive recuperação de conteúdo, assegurando um aprendizado mais consciente e consistente. Lembrando que os aperfeiçoandos/residentes que participarem das três provas e atingirem a média estipulada pelo regramento vigente serão dispensados da prova teórica de Título de Especialista, podendo realizar em seguida somente a prova prática. Ademais, a prova serve ainda de avaliação para o próprio serviço, como palco de aprendizagem, já que a performance de seus residentes/aperfeiçoandos compõe um dos critérios para estabelecimento de um ranqueamento institucional atualmente vigente.

Ofertar vistorias aos serviços que dispõem de aperfeiçoamento em Radiologia também é objetivo desta comissão, e um outro novo desafio de modelo trazido pela Pandemia. A vistoria, muito além da visita técnica local, é um momento de troca e consulta entre os preceptores, o supervisor do serviço de aperfeiçoamento e a equipe do CBR, sempre visando oportunizar melhorias e crescimento. Além de se observar o cumprimento das normas e o rito do serviço, há também um momento de escuta dos aperfeiçoandos, com o intuito de entender as características de cada local, e de sugerir adequações ou intervenções porventura necessárias, sobretudo em contextos de denúncia ou necessidade de ajustes mais contundentes.

Apoiar o ensino da Radiologia, sobretudo do aperfeiçoamento e residência médica, através da sistematização do atendimento, tanto dos alunos quanto dos supervisores, e, sobretudo, com a atenção máxima aos desafios inerentes deste cenário, é pauta institucional das mais importantes, e premissa fundamental desta comissão muito viva, a CEAR.

 

Mayra Veloso
Diretora Cultural e Coordenadora da CEAR

Written by

Milena

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

en_USEnglish